Eventos Setembro 2017
 
D
S
T
Q
Q
S
S
1
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
24
25
26
27
28
29
30
             

Todos os eventos
DERMATITE OU ECZEMA ATÓPICO – DICAS IMPORTANTES

por Dr. Eduardo Costa, membro da ASBAI-RJ

O que é a dermatite atópica?

A dermatite atópica é uma doença alérgica crônica da pele, de origem genética (hereditária), sendo mais comum em crianças. Pode ocorrer associada com a Asma e a Rinite Alérgica, numa mesma pessoa, seja ao mesmo tempo, seja em épocas diferentes da vida. Neste caso, chama-se de “Tríade Atópica”.

Como esta doença se manifesta?

A dermatite atópica (DA) se manifesta como um eczema, ou seja, por lesões inflamatórias crônicas e/ou recorrentes da pele. Verifica-se que existem algumas formas típicas, dependendo da idade do paciente:

No bebê (lactente): as lesões tendem a aparecer na face (bochechas), pescoço e, eventualmente, no couro cabeludo, dorso e membros (braços e pernas).

Em crianças maiores, adolescentes e adultos: as lesões tendem a se concentrar nas dobras dos cotovelos e dos joelhos, podendo também aparecer em outras regiões, como o pescoço.

Entretanto, pode ocorrer de formas variadas, desde casos leves, com discreto acometimento da pele; até casos graves, onde as lesões são intensas e disseminadas.

O que ocorre na pele?

Assim como a Asma e a Rinite, a DA se acompanha de um processo inflamatório crônico da pele, de causa genética (herdada) que faz com que a pessoa nasça com uma pele mais sensível. No entanto, o aparecimento da doença não resulta apenas desta herança, mas também se relaciona com fatores do meio ambiente. Ou seja, a inflamação da pele pode piorar com fatores variados: alimentos, contato com substâncias de ácaros na cama, fatores irritantes inespecíficos (perfumes, esfoliantes da pele, calor). O estresse emocional tende a agravar o problema.

Esta pele sensível é chamada de “pele atópica” e tem características próprias, que a tornam diferente da pele de pessoas sem alergia. Há uma menor produção de gorduras naturais, que hidratam e protegem a pele do meio externo. Por isso a pele é mais seca, áspera e tende a coçar com muita facilidade, sendo mais suscetível a infecção por bactérias e fungos que a pele normal.

É interessante notar que pessoas atópicas, sejam portadores de eczema e/ou alergia respiratória, também mostram este ressecamento e aspereza cutânea.

Como tratar a DA?

É muito importante que o paciente (criança ou adulto) seja acompanhado por um médico alergista, que analisará cada pessoa não apenas no ponto de vista cutâneo, mas de forma ampla, incluindo outras formas de alergia que porventura tenha.

Um dos objetivos do tratamento é melhorar a hidratação cutânea, sendo que o tipo de medicação será individual para cada caso, de acordo com o tipo e intensidade das lesões na pele. Entretanto, é preciso também que se tomem medidas para evitar o contato (por ingestão ou direto na pele) com as substâncias que causam a reação alérgica. O controle da coceira também é fundamental, para evitar que o ato de coçar irrite e aumente a agressão sobre a pele.

Por tudo isso, a orientação do alergista é imprescindível a fim de descobrir quais os fatores agressivos à pele de cada pessoa e assim orientar cuidados específicos e individualizados.

É fundamental detectar e evitar as agressões à pele, pois servem como “gatilhos” para aumentar a inflamação. Ou seja, cria-se um círculo viçioso, onde mais inflamação leva à mais coçeira, e o trauma da coçadura leva à mais inflamação da pele.

DA: Dicas importantes para todas as idades:

  • Evitar roupas apertadas e tecidos sintéticos: quanto menos roupa melhor.
  • Usar sabonetes suaves e hidratantes, evitando os esfoliantes.
  • Evitar o banho quente, o excesso de banhos e a permanência por muito tempo em ambientes quentes.
  • Preferir banho morno a frio (um a dois por dia, no máximo) e ambientes refrigerados.
  • Evitar talcos e perfumes com fragrâncias ativas.
  • Manter a pele bem hidratada, através do uso de creme ou gel adequado a cada caso;

Se você é portador de DA, só faça uso de medicamentos com a orientação de um médico especialista. Lembre-se: o uso de produtos caseiros ou inadequados pode piorar a inflamação da pele, e induzir novas sensibilizações (alergias). Até mesmo os medicamentos adequados, porém usados de forma incorreta, podem causar efeitos adversos indesejáveis no resto do organismo..


Comente o assunto participando do fórum. Clique aqui >>