Eventos Setembro 2017
 
D
S
T
Q
Q
S
S
1
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
24
25
26
27
28
29
30
             

Todos os eventos
O QUE É ANAFILAXIA

Texto educativo para leigos produzido pela Academia Americana de Alergia, Asma e Imunologia
(tradução autorizada pela AAAAI – www.aaaai.org)
Tradução: Dra. Maria Cecília Aguiar, membro ASBAI-RJ


Anafilaxia é uma reação alérgica grave que pode acometer o corpo todo, causando falta de ar, perda de consciência e podendo levar à morte. É uma emergência médica que requer cuidado imediato e um acompanhamento posterior com o alergista/imunologista.

A anafilaxia ocorre quando um indivíduo altamente alérgico a uma substância é exposto a esta substância. As que mais causam anafilaxia são os alimentos, medicamentos e o veneno de insetos Himenópteros (abelhas, vespas etc). Estima-se que 15% da população apresente risco de anafilaxia.

MECANISMOS

Anafilaxia é desencadeada da mesma forma que outras alergias: o sistema imune – que atua como a defesa do corpo contra substâncias potencialmente perigosas - superreage a uma substância inofensiva (um alérgeno), agredindo o organismo . Como parte da resposta imune normal são produzidas proteinas (anticorpos) , para deter e ajudar a destruir os “invasores”. Em pessoas alérgicas um anticorpo específico chamado imunoglobulina E (IgE) é o responsável pelas reações que agridem o organismo.

Quando um alérgeno penetra pela primeira vez no organismo de uma pessoa predisposta a alergias, o sistema imune produz uma IgE – alérgeno específica. A IgE se liga a superfície de células chamadas mastócitos. Num próximo contato com aquele alérgeno, a IgE o reconhece e rapidamente libera substâncias químicas contidas nos mastócitos ( ex: histamina). Estas substâncias químicas são as responsáveis pelas reações alérgicas e pela anafilaxia.

SINTOMAS DE ANAFILAXIA

Anafilaxia é uma “reação sistêmica”, o que significa que várias partes do corpo são afetadas, distantes do local de entrada do alérgeno (ex: a pele na picada dos insetos ou o estômago no caso dos alimentos) . Os sintomas variam de leves a graves e podem levar a morte. Abaixo temos uma lista de sintomas que podem ocorrer sozinhos ou associados:

Pele – urticária (placas vermelhas), inchaço , coceiras , vermelhidão, quentura, erupção.

Respiração- chieira no peito , respiração curta, aperto na garganta, tosse , rouquidão, dor no peito/aperto, obstrução nasal /espirro / coriza, dificuldade de engolir

Estômago - náusea, dor/cólica, vômito , diarréia, coceira na boca/garganta.

Circulação – coloração da pele pálida/azulada, pulso fraco, sensação de desmaio, sensação de cabeça leve, diminuição da pressão,choque.

Outros - ansiedade , olhos vermelhos/coçando/lagrimejando,dor de cabeça, cólica uterina.

As reações em geral ocorrem logo após o contato, mas em alguns casos são tardias. Algumas vezes os sintomas desaparecem, mas podem voltar horas após. Os sintomas mais perigosos são a diminuição da pressão arterial, dificuldade de respirar e perda de consciência que podem ser fatais. Se tiver esses sintomas procure imediatamente ajuda médica para se tratrar e diagnosticar o que causou o episódio.

Existem situações médicas que podem causar sintomas similares a anafilaxia como o infarte , ataque de ansiedade, convulsão e engasgo.

FATORES DESENCADEANTES

Alimentos: qualquer alimento pode levar a uma reação alérgica, mas os que mais frequentemente causam anafilaxia grave são: amendoim, nozes, frutos do mar, peixes , leite de vaca e ovo.

Insetos: Himenoptéros são os insetos que picam e liberam veneno (vespa, marimbondo, abelha e formiga do fogo). Ao picar causam dor local na maioria das pessoas. Se a pessoa for alérgica ao veneno desses insetos pode ter reações graves e mesmo fatais.

Medicamentos: qualquer medicamento pode produzir uma reação alérgica. Antibióticos e anticonvultivantes são grupos de medicamentos que induzem anafilaxia. Vacinas antiinfecciosas, derivados do sangue, contrastes radiográficos , medicamentos para dor e outras drogas podem causar anafilaxia ou reação anafilactóide (não é uma reação imunológica, mas causa os mesmos sintomas) .

Exercício: embora seja raro, o exercício também pode levar a anafilaxia. Não ocorre sempre que o paciente se exercita e ás vezes somente após a ingestão de alguns alimentos.

Outros: anafilaxia raramente ocorre em contato com o fluido seminal, hormônios e exposição a temperaturas extremas. Quando não se encontra uma causa e a reação é realmente anafilática, ela é chamada de anafilaxia idiopática.

TRATAMENTO E PREVENÇÃO

Se você tiver sintomas alérgicos graves, vá imediatamente para um pronto socorro aonde receberá injeção de adrenalina, para aliviar a falta de ar e melhorar a circulação. Outros medicamentos também serão dados: antihistamínicos (diminui o edema e a coceira) e corticóides (diminui a intensidade da reação alérgica). Quanto mais cedo você for tratado , menor a gravidade do quadro. Mesmo tendo recebido algum medicamento logo após a reação, vá a um pronto socorro.

POR QUE PROCURAR UM ESPECIALISTA EM ALERGIA?

O Alergista através da história do paciente e de testes , se necessário, tentará determinar o que causou reação. Uma vez que o fator desencadeante é identificado, o alergista/imunologista pode lhe dar informações detalhadas sobre como evitá-lo (e outras substâncias relacionadas também). A melhor maneira de não correr risco é evitar o alérgeno. Algumas orientações são :

Alimentos: como interpretar ingredientes em rótulos ,o que fazer ao jantar num restaurante, como evitar alimentos que tenham reação cruzada .

Insetos: reduzir perfumes , roupas com cores vivas, atividades “de alto risco” , vestir camisa de manga longa e calça comprida.

Medicamentos: que drogas evitar, lista de medicamentos alternativos que possivelmente serão tolerados.

Em alguns casos o seu alergista/imunologista pode sugerir tratamentos específicos. Vacinas para eliminar o risco de anafilaxia pelo veneno de insetos Himenópteros (ex: abelha, marimbondo, etc), praticamente eliminam o risco de anafilaxia pelo inseto.

A anafilaxia pode ser mais grave se o paciente estiver usando alguns medicamentos , para tratamento de outras doenças. O alergista pode aconselhá-lo sobre o que fazer nestes casos.

O seu alergista pode lhe prescrever adrenalina , para ser usada na hora de uma reação. Essa medicação reverte a reação alérgica, pelo menos temporariamente, enquanto você se dirige a um hospital. Aprenda com o seu alergista como aplicar a adrenalina e a reponha antes que o prazo de validade termine. Existe uma adrenalina autoinjetável (anapen ou epipen), que pode ser adquirida no exterior.

Uma pulseira e/ou um cordão ajudarão a identificar a sua alergia .

Se você tiver uma reação anafilática, informe sua família , seus médicos, seus patrões e os funcionários da escola, de modo que eles possam saber dos sintomas e também ajudá-lo a evitar os fatores desencadeantes. Trabalhe em parceira com seu alergista/imunologista.