Eventos Setembro 2017
 
D
S
T
Q
Q
S
S
1
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
24
25
26
27
28
29
30
             

Todos os eventos

ALERGIA

Artigo por Dra. Cláudia Nahuys Tebyriçá
Membro da ASBAI RJ


Alergia é uma resposta “exagerada” do organismo a um agente estranho de baixo potencial agressor que geralmente é bem tolerado pela maioria da população. Por exemplo, uma pessoa que come camarão e tem uma reação com placas vermelhas, que coçam, isto é uma reação alérgica ao camarão.

Os sintomas da alergia variam de acordo com o tipo e com o órgão que foi atingido. Assim, na rinite alérgica teremos espirros, obstrução nasal, coriza, coceira nos olhos, nariz, etc... Na asma teremos chiado, tosse, falta de ar e dificuldade respiratória.

Alimentos podem causar alergia e provocar sintomas variados como por exemplo, cólicas intestinais,diarréia, vômitos, associadas a placas vermelhas na pele. Nas crianças, os principais alimentos causadores de alergia são o leite de vaca e ovo (geralmente a clara de ovo). Já nos adultos, os principais alimentos são os frutos do mar (camarão e outros crustáceos). Entretanto, qualquer alimento, potencialmente, pode causar reações alérgicas e existem muitos casos de alergia a frutas (banana, abacaxi, pêssego, etc..), a sementes oleaginosas (amendoim, castanhas, nozes), a legumes e qualquer outro alimento. O chocolate e a carne de porco que frequentemente são apontados como vilões em alergia, raramente causam reações alérgicas.

A expressão mais grave da alergia é denominada anafilaxia, popularmente conhecida como “choque anafilático” e atinge diversos órgãos ao mesmo tempo. Acompanha-se de placas vermelhas na pele, falta de ar, chiados, cólicas abdominais, aceleração cardíaca, alteração da pressão arterial, podendo evoluir para óbito. As causas mais comuns de anafilaxia são: alimentos, medicamentos, anestésicos e venenos de insetos. O choque anafilático pode ser evitado em muitos casos através da correta investigação de reações alérgicas anteriores e pela adoção de cuidados preventivos. O uso da adrenalina pode salvar vidas e por isso existem formas auto-injetáveis que devem ser aplicadas precocemente evitando as reações mais graves.

O diagnostico de alergia é feito baseado na análise médica de cada caso, exame físico e por testes, realizados diretamente no paciente ou através de exames de sangue. Os testes alérgicos podem ser separados em 2 grupos: 1) Testes de leitura imediata, com resultado em 15 minutos, que servem para avaliar alergias respiratórias, alimentares e a picadas de insetos. 2) Testes de leitura tardia, com resultado mais lento, em 48 a 96 horas. Servem para avaliar as dermatites alérgicas de contato, como por exemplo a alergia a esmalte de unhas.

Alergistas são médicos especialistas treinados para o diagnostico e tratamento de doenças alérgicas e devem ser procurados em casos de Asma, Rinite, Urticaria, reações a drogas, picada de insetos, eczemas de contato, bem como para avaliação de reações suspeitas de anafilaxia. Cabe ao alergista, após avaliação com testes cutâneos e/ou exames de sangue, a indicação da imunoterapia(vacinas para alergia).

A alergia ainda não tem cura, mas o tratamento preventivo através de imunoterapia ou outras medicações, é capaz de proporcionar ao alérgico uma qualidade de vida muito melhor.