ALERGIA E ASMA

por Dra Patrícia Miranda


Viver bem é mais simples do que você imagina

DICAS PREPARADAS PELA ASBAI PARA VOCÊ VIVER MELHOR

O que é asma?

A asma é uma doença inflamatória crônica dos pulmões (brônquios e bronquíolos) e, na grande maioria das vezes é causada por alergia. Afeta cerca de 10% da população. Os sintomas são: tosse, crises de falta de ar, respiração curta, chiado no peito e falta de fôlego.

Se a asma não está controlada, a pessoa pode ter prejuízos físicos e psicológicos como: limitações para atividades esportivas e sociais, menor rendimento na escola e no trabalho, distúrbios do sono, insegurança e medo da próxima crise que, em casos muito graves pode levar à morte.

DICA: Atenção com os ácaros

Ácaros são os principais causadores de alergia respiratória. São invisíveis a olho nu e estão em grande quantidade pela casa, principalmente nos colchões, travesseiros, tapetes, carpetes, almofadas e bichos de pelúcia. Num colchão podem existir até 2 milhões de ácaros vivos!

É fundamental conhecer as causas da alergia em cada pessoa, para evitar o contato com o agente causador. Por isso, é preciso fazer o tratamento correto, que pode ser indicado com facilidade pelo médico especialista, por meio de testes para alergia.

Asma e Rinite Alérgica

A rinite alérgica está presente em cerca de 30% da população. 80% das pessoas asmáticas também sofrem de rinite que, se não for tratada adequadamente, pode piorar as crises de asma.

Os sintomas da rinite são: coriza, espirros, entupimento nasal, coceira em nariz, olhos, ouvidos e garganta.

A rinite também pode levar a complicações como: otites, sinusites, amigdalites, roncos, respiração bucal, alteração na posição dos dentes, etc. Por isso, é muito importante que, quando houver a necessidade de tratamento dentário, seja investigada e tratada a rinite alérgica.

DICAS PARA A CASA DO ALÉRGICO:

Mantenha a casa bem ventilada. Limpe diariamente com pano úmido. Guarde roupas e objetos dentro de armários para facilitar a limpeza.
Evite: estofados, cortinas, carpetes, bichos de pelúcia e cobertores de lã. Prefira edredons.
Evite ter animais de pelos ou penas dentro de casa. Se já tem um animal, lave-o semanalmente e não deixe que suba nas camas ou sofás.
Não use produtos com cheiro forte como: removedores, lustra-móveis, desinfetantes, inseticidas, assim como desodorizantes, perfumes e sprays.
Não fume e não permita que fumem em sua casa.
Combata a umidade excessiva e os focos de mofo.
Pratique esportes, atividades físicas ou caminhadas. Tenha uma vida normal.

Alergia e fatores genéticos

Tanto a asma quanto a rinite alérgica tem caráter hereditário, ou seja, passam dos pais para os filhos. Assim, uma criança nascida em família alérgica apresenta maior probabilidade de ser alérgica – os índices chegam a 80%.

Fatores desencadeantes das principais alergias:

Alérgenos (poeira, ácaros, mofo, polens, pelos de animais e baratas)
Irritantes: poluição, fumaça de cigarro, produtos com cheiro forte (perfumes, desinfetantes).
Infecções: gripes, resfriados, sinusite e pneumonias.
Medicamentos: (por exemplo: ácido acetil saliclílico) e alimentos (ex. leite, ovos, amendoim)
Mudanças de tempo e poluição

Alergias da pele

Podem ser de vários tipos:

URTICÁRIA: caracteriza-se pelo aparecimento de “vergões” na pele em diferentes partes do corpo, acompanhados de coceira e vermelhidão. As causas são variadas: alimentos, aditivos, medicamentos ou alterações físicas (calo, frio, suor).

DERMATITE ATÓPICA: é uma inflamação da pele de fundo alérgico, que aparece mais frequentemente na infância, afetando principalmente as dobras de braços e pernas, face e pescoço. Os sintomas são, principalmente coceira intensa, ressecamento e irritação da pele, eczemas e descamação.

DERMATITE DE CONTATO: causada pelo contato de substâncias que provocam alergia diretamente na pele, como: metais, bijuterias, cosméticos, esmaltes, etc.

ALERGIA À PICADA DE INSETOS: pode se manifestar com “caroços vermelhos que coçam ou até em casos mais graves, inchaço em algumas partes do corpo (olhos, boca e orelhas).

Mas, seja qual for sua alergia, consulte sempre o seu médico alergista. Evite a automedicação.

.