QUANDO SUSPEITAR DE IMUNODEFICIÊNCIA

Artigo por Dra. Aluce Ouricuri


Muitas vezes os pediatras são procurados por pais de crianças pequenas que apresentam quadros repetidos de infecções respiratórias, como por exemplo: otites, sinusites e amigdalites. Estes pais se preocupam pelo uso repetido de antibióticos e querem saber se há algo errado com seus filhos.
Estas crianças são normais, têm bom desenvolvimento, peso e estatura adequados. E porque ficam doentes? Os motivos são variados:

Crianças pequenas têm um sistema imune imaturo, estando susceptíveis às infecções respiratórias. É normal que uma criança pequena até os 3 anos de vida tenha até 10 resfriados (viroses )por ano.
Presença de alergias respiratórias, como por exemplo, a asma e a rinite podem ocasionar sinusites, amigdalites e otites repetidas.

  • Frequência à creches : facilita a transmissão de viroses entre as crianças.
  • Hábitos como chupeta e mamadas noturnas podem predispor às infecções.
  • É comum que crianças que convivem com fumantes tenham mais infecções respiratórias.
  • Presença de outras doenças: refluxo gastro- esofágico, fibrose cística ou crianças portadoras de alterações anatômicas das vias aéreas.
  • Mas, o que é uma criança imunodeficiente?

É aquela que apresenta uma doença do seu sistema imune e por isso não tem a defesa apropriada contra agentes infecciosos, resultando em infecções repetidas. Mas, nestes casos, o quadro torna-se mais grave: são crianças emagrecidas, pouco desenvolvidas que fazem infecções seguidas de complicações significativas, necessitando muitas vezes de internação hospitalar e em casos mais graves, podem evoluir para óbito.

Por isso é importante detectar precocemente estes casos a fim de evitar que se tornem graves. A Fundação americana Jeffrey Model criou os seguintes sinais de alerta:

10 sinais de Alerta para Imunodeficiência Primária:

  • Duas ou mais pneumonias no último ano.
  • Oito ou mais novas otites no último ano.
  • Estomatites de repetição ou Monilíase por mais de dois meses.
  • Abscessos de repetição
  • Um episódio de infecção grave (meningite, osteoartrite, septicemia)
  • Infecções intestinais, diarréia crônica.
  • Asma grave, doença auto-imune.
  • Efeito adverso ao BCG e/ou infecção por micobactéria.
  • Aparência da criança demonstrando desenvolvimento alterado pela doença.
  • História de outros casos na família.

Estas crianças necessitam tratamento especializado e vem ser encaminhados para centros de referência em Imunologia. No Rio de Janeiro, são os seguintes:

  • Hospital dos Servidores do estado
  • Instituto de Pediatria e Puericultura Martagão Gesteira – UFRJ
  • Hospital Universitário Gaffrée Guinle – UNIRIO
  • Instituto Fernandes Figueira
  • Instituto de Dermatologia Professor Azulay - SCMRJ