Eventos Setembro 2017
 
D
S
T
Q
Q
S
S
1
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
24
25
26
27
28
29
30
             

Todos os eventos

SAINDO DE FÉRIAS

Artigo por Dr. Sílvio F. De Lima Filho

As férias estão aí! Passadas as festas natalinas é chegada a hora de viajar com as crianças. Praia? Campo? Montanha? O destino não importa! O importante são os cuidados para que a viagem da família não se transforme num pesadelo. Se a viagem for de carro, a maioria de nós já se conscientizou da importância daquela revisão mecânica preventiva para que o veículo não enguice no meio do caminho, de checar as reservas nos hotéis e atrações turísticas da região escolhida. Não esquecemos também de deixarmos pagas as contas e compromissos que vencem no período da nossa ausência, mas o que dizer da manutenção preventiva da nossa saúde e da dos nossos filhos?

Como médico alergista, atuando há muitos anos em consultório privado, tenho me deparado com famílias cuja viagem de férias se transforma em verdadeira peregrinação por serviços de emergência e hospitais por não terem tido o cuidado de realizarem uma simples consulta de rotina antes da viagem de férias. Vejamos algumas pequenas providências que podem evitar “dores de cabeça” desnecessárias.

1. Se a viagem for rodoviária, no automóvel da família, providencie para que seja feita uma boa limpeza e higiene dos carpetes, estofados e ar condicionado do veículo. Neste tipo de viagem passamos muitas horas dentro do automóvel, seja no trajeto para o nosso destino, seja nos passeios pela região visitada o que nos expõe aos ácaros e poeira existentes no veículo. Vale à pena usar uma solução acaricida para a mesma.

2. Providencie uma pequena farmácia que contemple os medicamentos do qual faz uso, e, aqueles que pela característica de sua doença pode a vir precisar (para tratar uma crise alérgica, por exemplo). Não se esqueça que alguns fármacos só são vendidos com prescrição médica. Consulte seu médico.

3. Se a previsão de duração da viagem ultrapassa poucas horas, e, se há necessidade de transporte de vacina de alergia, esta deve ser transportada acondicionada em caixa de isopor ou bolsa térmica. Lembre-se de envolver o frasco de vacina com filme plástico para que a umidade que se condensa ou água do degelo no interior do recipiente não penetre no frasco da vacina. Use preferencialmente gelo reciclável. Nunca use gelo seco já que este pode congelar o medicamento, o que deve ser evitado. Ao chegar ao destino transfira imediatamente o medicamento para um refrigerador.

4. Quando sabemos de antemão que o local que nos aguarda não é dos mais apropriados para alérgicos (aquela casa de praia ou campo mofada, aquele hotel fazenda que cheira a cavalo, os tapetes da casa da vovó, etc..) e não há alternativa, uma maneira de contornar o problema é consultar o seu médico quanto à possibilidade do uso de medicação profilática. Às vezes um antialérgico tomado antecipadamente pode prevenir piora da doença.

5. Procure saber da existência de serviços médicos apropriados ao qual possa se dirigir em caso de emergência. Consulte seu convênio e converse com seu médico. Se for necessário este pode lhe fornecer impresso de orientação para que o médico assistente possa tratar melhor sua alergia. Lembre-se; ele não lhe conhece e nem sempre se encontra atualizado quanto ao mais recente tratamento para a sua alergia.

6. Divirta-se e aproveite suas férias de maneira inteligente. Lembre-se que longe dos grandes centro os recursos médicos são escassos. Não corra riscos desnecessários. Se for alérgico à picada de abelhas, por exemplo, pense duas vezes antes de se embrenhar dentro do mato e se for fazê-lo siga a recomendação do seu médico.

Não permita que aquilo que é para ser prazeroso se transforme em doloroso. Siga em frente e boa viagem!!!