TOSSE NA CRIANÇA

Texto educativo para leigos produzido pela Academia Americana de Alergia, Asma e Imunologia
(tradução autorizada pela AAAAI – www.aaaai.org)
Tradução: Dra. Maria Cecília Aguiar, membro ASBAI-RJ

A tosse é um mecanismo de defesa que remove muco (catarro), substâncias irritantes e agentes infecciosos do trato respiratório. A tosse ajuda a eliminar o catarro das vias aéreas e é o sintoma respiratório que mais leva um paciente a procurar auxílio médico. Tossir não significa estar doente. Crianças saudáveis tossem de 1 a 34 vezes ao dia e podem ter episódios de tosse que duram semanas. No entanto a tosse noturna é quase sempre anormal e necessita atenção médica.

Tosse Aguda na Criança

Episódios de tosse de curta duração, em geral ocorrem em conseqüência de infecções virais do trato respiratório superior. São muitos os vírus que induzem tosse. Pré-escolares saudáveis, que estão em creche, podem ter de 6 a 8 infecções das vias aéreas superiores, com tosse, por ano.

Isso ocorre devido ao gotejamento de catarro na garganta ou por irritação pelo vírus. Pouco são os medicamentos que ajudam, portanto o melhor é procurar um médico para examiná-lo e orientar o que fazer.

Tosse Crônica na Criança

Tosse crônica ou persistente, é aquela que dura mais de 4 semanas . É comum na criança. As causas mais freqüentes são:

• Tosse como sintoma de asma:

Crianças com asma frequentemente apresentam tosse junto com sibilância (chiado no peito) e falta de ar, porém em algumas a tosse é o único sintoma de asma apresentado. A tosse da asma piora com infecções virais (especialmente à noite), com exercício físico e com inalação de ar frio. Os medicamentos usados no tratamento desta tosse são os mesmos utilizados no tratamento da asma.

• Tosse causada por rinite e/ou sinusite:

O gotejamento de catarro na garganta, que pode ocorrer devido a rinite (inflamação da cavidade nasal) ou devido a sinusite (inflamação dos seios da face) é uma causa freqüente de tosse que pode se tornar crônica. Em geral outros sintomas estão presentes como obstrução nasal e coriza, mas algumas vezes o único sintoma é a tosse. Com frequência, a doença responsável é a rinite alérgica, cujo diagnóstico é feito pela história, exame do paciente e testes alérgicos. Nas infecções e inflamações dos seios da face a tosse pode persistir por semanas ou meses, às vezes com poucos sintomas nasais. Novamente a história que o paciente fornece ao médico e o exame físico, ajudam no diagnóstico. Algumas vezes é necessário fazer radiografia dos seios da face ou tomografia computadorizada dos seios paranasais.

• Tosse causada por doenças do estômago e esôfago:

Doenças do estômago e esôfago podem causar tosse crônica em algumas crianças. Esta tosse está em geral associada ao refluxo gastro-esofágico e pode haver sensação de queimação no peito. Crianças de baixa idade não tem esta queixa , por não saberem descrevê-la ou não saberem que o que sentem é anormal. Outras crianças apresentam rouquidão ou engasgo como sintomas de refluxo. Seu médico deve investigar essa possibilidade e prescrever medicamentos anti-refluxo. Existem testes que podem ser feitos para se chegar a este diagnóstico (ultrassom com doppler colorido, pHmetria etc.). O refluxo gastroesofágico e problemas de deglutição são causas comuns de tosse persistente em crianças de baixa idade, especialmente se ela ocorre após a alimentação.

Outras Causas de Tosse

• Tosse pós viral:

Após uma infecção respiratória viral, crianças que não tem asma , refluxo gastroesfágico ou rinossinusite podem permanecer com tosse por várias semanas. Não existe tratamento específico para essa tosse e com o tempo ela desaparece. Nesses casos ocorre um aumento de sensibilidade dos receptores da tosse. Devemos suspeitar disto quando o paciente não melhora com medicação para asma. Medicamentos antitussígenos podem ser usados, embora nem sempre funcionem.

• Aspiração de corpo estranho:

Qualquer criança pode aspirar um corpo estranho (pedaço de brinquedo de plástico, bala dura, amendoim, etc). Meninos entre dois e quatro anos são as maiores vítimas. A radiografia de tórax pode ou não mostrar a presença do corpo estranho e a tosse pode persistir por semanas ou meses até a causa ser descoberta.

• Tosse por hábito:

É uma tosse persistente, sem achados no exame físico. Pode ocorrer após uma infecção viral. Em geral é seca, repetitiva e preocupa mais os familiares e cuidadores, do que a criança. Só ocorre durante o dia, não se manifestando a noite enquanto a criança dorme.

• Tosse irritativa:

Fumaça de cigarro e poluentes atmosféricos , são irritantes e causam tosse em crianças saudáveis ou agravam a tosse por asma ou por rinossinusite. Evite essas substâncias, especialmente se a criança tiver alergia respiratória.

Tratamento

Tosse diurna após uma infecção respiratória viral, não necessita tratamento específico e em geral resolve em uma a duas semanas.

O tratamento da tosse crônica deve ser feito visando a causa – asma, refluxo gastroesofágico , rinite e rinossinusite. O valor dos agentes mucolíticos (que dissolvem as secreções) é limitado. Antitussígenos também são de pouco valor, mas podem ser usados. Os melhores são os que contém codeína (devem ser usados por pouco tempo).

Em conclusão, a melhor maneira de tratar a tosse é encontrar a causa .

Procure um médico se a tosse mudar suas características, se não melhorar com os medicamentos recomendados pelo médico, se houver eliminação de sangue quando tussir ou se a tosse estiver interferindo com as atividades diurnas ou com o sono.

Não deixe de procurar um alergista/ imunologista se a tosse tiver as seguintes características:

- Duração de mais de três semanas;
- Tosse associada a asma brônquica;
- Tosse crônica associada a sintomas nasais;
- Tosse crônica e contato com fumaça de cigarro.