ASMA E RINITE:
PORQUE DEVO VOLTAR AO ALERGISTA REGULARMENTE?

por Dra. Fátima Emerson, membro da ASBAI-RJ


A medicina moderna é cada vez mais preventiva. Se pudermos atuar antes de surgir uma piora, é o ideal. Assim, pode-se evitar não só a crise como também o custo ao paciente. E o que é este custo? Pode ser fácil de calcular, como por exemplo o quanto se gasta numa consulta, num exame ou no plano de saúde. Mas, em alguns momentos, pode ser incalculável, pois não há como medir o grau de sofrimento que a asma pode causar ao paciente e sua família.

O que é uma doença crônica?

Uma doença que dure mais do que 6 semanas é chamada da crônica, independente de sua gravidade e sendo assim, a asma e a rinite podem ser consideradas como doenças crônicas.
O ponto básico para se prevenir as crises de asma e rinite é entender que são doenças de causa genética (hereditária). Por isso, se acompanham de uma inflamação persistente que torna suas vias respiratórias mais sensíveis a diversos fatores que podem provocar crises. Estes fatores podem ser encontrados:

Em nossa casa: poeira, mofo, pelos, baratas, fumaça cigarro, alimentos,
No meio ambiente: mudanças de tempo, poluição, odores ativos,
Em alguns de nossos hábitos: certos medicamentos, exercício, trabalho, escola,
Fatores ligados ao organismo : infecções respiratórias, fatores hormonais, refluxo, emoções, entre outros.

Esse é o grande problema: nem sempre é fácil controlá-los. Por isso, é importante manter acompanhamento médico: a asma e a rinite podem mudar - crises podem surgir, mesmo quando se está fazendo o tratamento corretamente.

10 motivos para a consulta periódica com seu alergista:

  1. O tratamento da asma e da rinite deve ser feito com remédios controladores, para usar todos os dias. Mas, se tiver crise, o esquema de tratamento precisa ser modificado.
  2. Mesmo que esteja bem, a medicação controladora diária precisa ser ajustada. Se hoje, em Abril 2010 você usa um tipo de remédio com uma determinada dose, não significa que deve manter a mesma dose em Julho ou em Novembro de 2010. É o alergista que julgará se deve aumentar, diminuir ou até suspender sua medicação.
  3. Em cada consulta, o alergista repete o exame físico, anota suas queixas e reavalia seu tratamento.
  4. O médico verificará se técnica de uso da medicação inalada está correta. O uso inadequado prejudica o bom resultado.
  5. O alergista avaliará também sua imunoterapia (vacina para alergia) e se a diluição está adequada.
  6. O controle dos sintomas nasais da rinite é importante para prevenir complicações (sinusites, otites, amigdalites, etc) e para evitar que a asma se agrave.
  7. Muitas vezes a pessoa está bem e pode diminuir a dose dos seus remédios. Ou, ao contrário, necessita aumentar a dose. Como saber sem a orientação do médico?
  8. Uma pessoa com asma que faça uso de um inalador em terapia combinada, ou seja, que contém uma associação de remédios (alívio + controle), pode ficar bem por mais de 3 meses e trocar este medicamento por um outro, com apenas uma medicação. O médico julgará na consulta periódica.
  9. O objetivo principal do tratamento é controlar a asma e a rinite, com o mínimo possível de medicação. É como uma escada: em alguns momentos posso precisar subir alguns degraus, em outros, precisarei descer. A visita ao médico permite que esta decisão seja tomada em conjunto.
  10. É fácil parar o tratamento quando se está bem e as crises são esquecidas.

Mas...

É ainda mais fácil manter consultas periódicas com seu alergista, controlar sua asma e rinite, ganhar qualidade de vida e evitar o sofrimento!.